ADE/CoGemfri

ADE/CoGemfri

O 2º ADE implantado com o apoio do Instituto Positivo (Case CoGemfri)

O segundo Arranjo de Desenvolvimento da Educação apoiado pelo Instituto positivo é o CoGemfri – Colegiado em Gestão da Educação da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí – AMFRI.

A Amfri (Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí) é uma associação que congrega 11 municípios. São eles: Balneário Piçarras, Balneário Camboriú, Bombinhas, Camboriú, Ilhota, Itajaí, Itapema, Luiz Alves, Navegantes, Penha e Porto Belo.

Antes mesmo de constituir o Arranjo, os municípios já possuíam um colegiado formado por Secretários de Educação que se reuniam com frequência para debater temas comuns.

Em um desses encontros, no ano de 2016, os participantes do colegiado analisaram a possibilidade de implantar um ADE para incrementar as ações colaborativas da região.

Na mesma época, a Amfri estava conduzindo um projeto ousado chamado InovAmfri. Por meio de uma parceria com Cingapura, o projeto se propunha a planejar o futuro da região da Foz do Rio Itajaí, integrando municípios e propondo soluções inovadoras para os desafios do desenvolvimento econômico, da gestão pública e da mobilidade urbana. O objetivo é tornar essa região um modelo de gestão inteligente no Brasil. Em meio a esse contexto de inovação e integração, o Colegiado de Educação optou pela implantação do ADE na região. O evento de lançamento ocorreu em abril de 2016 e contou com a presença de professores, educadores, representantes dos poderes executivo e legislativo dos municípios, representantes das universidades, empresas e parceiros – entre eles, o Instituto Positivo (IP), que presta suporte técnico.

Considerando os municípios participantes, ao todo, segundo as matrículas de 2015, há 89 mil estudantes na Educação Básica. O volume de alunos é distribuído em 34.462 alunos nos anos iniciais, 21.805 nos anos finais, 15.235 nas pré-escolas, 15.207 nas creches e 2.299 no EJA.

Considerando o Ideb, o Indicador de Desenvolvimento da Educação Básica, em 2015, a média dos resultados do território nos anos iniciais é de 6,13 e para os anos finais é 4,79.

Com relação à governança, o CoGemfri conta com uma Coordenação Gestora, um Conselho Consultivo, um Conselho Técnico (Instituto Positivo), uma Coordenação Técnica Administrativa, uma Coordenação Técnica Pedagógica e uma Coordenação Financeira e Logística.

Após a realização de um diagnóstico territorial, o CoGemfri iniciou suas atividades focando o trabalho na disseminação das boas práticas identificadas entre os municípios que compõem o arranjo. Após a boa prática ser identificada, seja ela no campo da gestão administrativa ou pedagógica, os demais secretários avaliam e decidem se ela deverá ser replicada para todos os municípios.

As principais estratégias deste ADE são:

  • Implementar o Colegiado para fortalecer a cultura de cooperação intermunicipal visando a qualidade do acesso, permanência e sucesso da Educação Pública ofertada no território, por meio de políticas, planejamentos e ações compartilhadas.
  • Instituir, fomentar e fortalecer a cultura de cooperação intermunicipal do território, por meio de analise situacional, avaliação de práticas pedagógicas, planejamento e ações colaborativas.
  • Contribuir para a instituição de políticas públicas e ações cooperadas visando a eliminação das desigualdades regionais e intermunicipais na Educação Básica.
  • Reconhecer a situação educacional do território e elaborar planos intermunicipais.
  • Permitir uma estrutura organizacional em rede que viabilize a execução de ações coletivas voltadas à qualidade da Educação, que incluam atores/instituições de variados segmentos da sociedade, sejam eles públicos, de caráter privado ou do terceiro setor.
  • Constituir-se como um espaço de articulação social de entidades governamentais e não governamentais, públicas ou privadas e sem fins lucrativos, com vistas a criação de rede de mobilização e articulação em prol da Educação Pública.
  • Contribuir para replicar políticas/ações bem-sucedidas e/ ADE CoGemfri ou buscar a solução de situações adversas à proposição da Educação Pública de qualidade, promovendo a articulação entre as instituições e a busca coletiva de soluções.