ADE/Granfpolis

ADE/Granfpolis

Após um período de análise e de seleção bastante criterioso, o primeiro ADE implantado com a colaboração do Instituto Positivo está situado na região leste de Santa Catarina e foi lançado em julho de 2015, contando com a parceria da Associação de Municípios da Região da Grande Florianópolis (Granfpolis).

Ao todo, compõem o ADE 22 municípios. São eles: Águas Mornas, Alfredo Wagner, Angelina, Anitápolis, Antônio Carlos, Biguaçu, Canelinha, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Leoberto Leal, Major Gercino, Nova Trento, Palhoça, Paulo Lopes, Rancho Queimado, Santo Amaro da Imperatriz, São Bonifácio, São João Batista, São José, São Pedro de Alcântara e Tijucas.

Considerando os municípios participantes, ao todo, no ano de 2017, somam-se 433 escolas públicas municipais que atendem a 88.427 estudantes na Educação Básica.

Considerando o Ideb, o Indicador de Desenvolvimento da Educação Básica, em 2015, a média dos resultados do território nos anos iniciais é de 6,19 e para os anos finais é de 3,65.

Para fortalecer o trabalho em rede e contribuir para a evolução dos resultados educacionais da região, os Secretários de Educação e suas equipes, após um profundo diagnóstico, elencaram metas territoriais prioritárias para toda a região. São elas:

  • Instituir, implementar e consolidar o processo em larga escala de “Avaliação Externa Territorial de Aprendizagem Escolar” em todos os municípios participantes, com o objetivo de compreender o fenômeno da não aprendizagem.
  • Reduzir a média geral de distorção idade/ano de 12,3% para 8%.
  • Criar opções de implementação de 1/3 da hora-atividade para todos os professores que atuam nos níveis, etapas e modalidades de ensino.
  • Desenvolver um programa de avaliação institucional que permita diagnosticar a organização e o funcionamento dos sistemas municipais de ensino.

No ADE/Granfpolis cada um dos participantes tem uma função específica, organizada dentro da estrutura de governança do programa. O Instituto Positivo atua como facilitador e mentor técnico para a implantação e fortalecimento do Arranjo. A Associação Granfpolis tem o papel de articular e mobilizar os municípios de acordo com as fases do ADE. Além disso, são eleitos líderes que atuam como representantes do arranjo, frente aos demais colegas Secretários de Educação, lideranças públicas e parceiros. As Secretarias de Educação e suas respectivas equipes pedagógicas são os executores, aqueles que fazem as ideias saírem do papel, conduzindo a operacionalização das atividades vinculadas às metas. O ADE/Granfpolis também conta com parceiros, que podem prestar apoio técnico ou financeiro. Empresas privadas ou estatais, organizações não-governamentais, universidades e movimentos da sociedade civil podem fazer parte desse time.

Com essa estrutura, os municípios são empoderados e passam a ganhar mais autonomia. Ao se apropriar da metodologia do ADE, eles poderão conduzir o programa ao longo dos anos mesmo sem a presença do mentor técnico. O objetivo principal desse modelo de governança é que a colaboração seja um elemento chave para o alcance das metas territoriais, ampliando o apoio mútuo entre as secretarias de Educação, reduzindo a descontinuidade dos programas e, ao longo do tempo, contribuindo para ampliar a equidade entre os municípios.